Terça, 15 de Junho de 2021 15:14
42988489296
Blogs LIVRES DE DOENÇA

5 dicas para uma criação de galinhas sem doenças

A maioria dos produtores de galinhas trava uma batalha contra um grande inimigo, chamado de doenças. Elas podem ser de vários tipos, causando inúmeros sintomas, algumas com maior mortalidade, outras causadoras de problemas produtivos.

08/05/2021 11h08 Atualizada há 1 mês
689
Por: Redação Fonte: Luis Enrique Dias Wisniewski.
Galinhas sem doenças
Galinhas sem doenças

De qualquer maneira, e em qualquer forma de aparecimento, as doenças são um dos grandes responsáveis pela incapacidade de se chegar ao ápice produtivo e econômico de uma criação. Em virtude desse fato, nós do Rancho LW reunimos 5 passos fundamentais para garantir que a nossa criação fique livre de doenças.

1ª DICA - Uma boa ração:

A alimentação é ponto fundamental para que nossos animais estejam bem nutridos. Através dos nutrientes da ração, a ave pode sintetizar proteínas que são relacionadas ao sistema imunológico. Logo, se o sistema imunológico do animal está fortalecido, a chance dele ser acometido por uma doença é menor. Assim, definir uma boa dieta é um passo chave para a prevenção a doenças. “Mas Luis, como saber qual é uma boa ração?” Essa pergunta é bastante importante. Primeiro, é necessário entender que cada fase de desenvolvimento do animal demanda de uma quantidade específica de nutrientes, então um pintinho vai ter uma exigência completamente diferente de um animal adulto. A primeira coisa que precisamos fazer é dividir os animais em categorias, e a ração em acordo com as mesmas:

01: Categoria de Cria – Pintinhos de 1 a 30 dias: Ração Pré Inicial e Inicial.

02: Categoria de Recria – Pintinhos de 30 a 2 semanas antes da produção/terminação: Ração de crescimento. [É importante notar que a duração da RECRIA vai variar em função do sistema de criação, do objetivo de criação (corte/postura/ornamental) e também da genética dos animais].

03: Categoria de Terminação – Frangos para corte: Ração de terminação.

04: Categoria em Produção/Postura – Galinhas/Galos adultos: Ração de postura.

Agora que sabemos que cada categoria possui uma exigência, entra a parte da ração: Compare as tabelas nutricionais de cada marca. É obvio que a disponibilidade e oferta vai variar de região para região e não é uma receita de bolo, mas compare as tabelas nutricionais e você vai notar a diferença principalmente de energia e proteína. Se você quiser trabalhar com a produção de ração em casa, atente-se a qualidade dos ingredientes e também ao balanceamento da mesma.

Para todas as categorias ainda é necessário suplementar a dieta sempre que possível com bastante verde [folhas escuras de preferência (couve, brócolis, couve-flor) e também com hortaliças/verduras (abóbora, folha de bananeira, cenoura)] já que são fontes de vitaminas e também de enriquecimento alimentar. 

Além da alimentação, a água é de extrema importância. Ela precisa ser limpa, fresca e livre de contaminantes. Costumamos dizer que a água que você fornece aos seus animais deve ser a mesma que você beberia. Os bebedouros precisam ser limpos regularmente e a água trocada diariamente. Lembrem sempre dessa frase: “a água que você fornece aos seus animais deve ser a mesma que você beberia”.

2ª DICA - Limpeza e Desinfecção:

Quem aqui gostaria de morar em uma casa completamente suja? Acredito que muitos de nós não. As galinhas da mesma forma. Precisamos estabelecer um cronograma de limpeza e desinfecção periódicas para não só combater possíveis microrganismos, mas também manter o ambiente favorável para as aves. Além dos patógenos, um galinheiro muito sujo produz um grande volume de amônia. Essa substância evapora com facilidade e irrita os olhos e mucosas das aves, causando corrimentos e abrindo as portas para doenças. Além disso, baixa a imunidade do animal.

 

Pensando nos microrganismos causadores de doenças, o galinheiro sujo possui tudo o que eles mais gostam: comida (sujeira), boa temperatura (sujeira fermenta e aumenta a temperatura) e umidade! Assim, é uma festa e eles se reproduzem em uma velocidade absurda. Quanto maior a carga de microrganismos em um ambiente, maior o risco de doenças aparecerem. Quando vamos realizar a limpeza, podemos proceder da seguinte forma: remoção de toda a matéria orgânica (cama, fezes, tudo), limpeza com desinfetante (próprio para produção animal), vassoura de fogo, cal virgem, cama nova e pulverização contra parasitas. 

 

É importante salientar que a limpeza não se restringe somente as instalações, mas também aos comedouros, bebedouros, puleiros, ninhos, e todo e qualquer equipamento que esteja no galinheiro. Também temos um vídeo sobre limpeza de bebedouros.

3ª DICA- Ausência de Estresse:

O estresse, seja ele qual for (inquietação, calor, frio, alta densidade de animais, ausência de comida, brigas) causa inúmeros problemas: canibalismo, queda no consumo de ração, aumento do metabolismo, lesões mecânicas e a consequência de todos eles é a queda do sistema imunológico, e aí o sistema é em cascata: Queda da imunidade, janela de oportunidade para microrganismos ambientais e do trato intestinal do animal, doença. Quanto mais estressante o ambiente, maior o risco. Juntem esse fator com uma alimentação desbalanceada + ambiente sujo e temos uma bomba biológica. 

O fator estresse é corrigido através do manejo, do cuidado do avicultor com os seus animais e com os fatores os quais importam para a produção. É um tópico que muitas vezes é deixado de lado, imaginando que as aves são organismos programados para apenas existir, desconsiderando que são vivos e que sentem a pressão do ambiente. Sim, eles sentem. 

Como diminuir o estresse? Além dos cuidados com a alimentação e densidade dos animais, e o fator “temperatura ambiental”, podemos amenizar os efeitos estressantes propiciando as aves métodos de “distração”, como: milho dentro de uma garrafa pet furada, pendurando verduras pelo galinheiro, distribuindo a ração em vários pontos. Usem a criatividade e estimulem um enriquecimento ambiental e alimentar aos animais. 

 

4ª DICA- Vacinação e Vermifugação:

Sim, é um tópico polêmico pois sabemos a dificuldade que o pequeno produtor possui em encontrar vacinas, ainda mais que as empresas só comercializam em frascos de 1000 doses. Porém, é inegável que uma das formas mais eficientes de se prevenir doenças é vacinando os animais. 

O cronograma de vacinação deve ser elaborado com base nos desafios específicos do criatório bem como da região, ou seja, não adianta vacinar contra a doença X se nunca houve casos da mesma na região (com exceção das vacinas obrigatórias). Após anos de criação, acredito que as vacinas mais importantes são: NewCastle, Marek, Gumboro, Coriza, Micoplasmose, Salmonela (pulorose), e Bouba Aviária. 

 

Além da vacinação, não podemos esquecer da vermifugação, que precisa ser estratégica e focada na prevenção dos animais. Normalmente ela é realizada em todo o plantel a cada 3 ou 4 meses, nas mudanças de estação. Aqui trago dois videos sobre o tema para vocês.

VIDEO 1

 

VIDEO 2

As doses e idade correta para imunização variam de acordo com o fabricante, portanto ao adquirir a vacina pesquise quais são as suas indicações e considerações. 

 

5ª DICA - Quarentena:

Acredito que um dos momentos mais empolgantes é quando trazemos novos animais para a criação, não é mesmo? Ou ainda, quando vamos visitar um super criatório. Diante do momento de pandemia que estamos vivendo, acredito que todos estejam CRAQUES em saber o que é quarentena e a importância dela né?

Precisamos sempre isolar novos animais que podem ser vetores de doenças. Normalmente um período de 14 dias já é suficiente para realizar a vermifugação, vacinação se necessário, e observação de possíveis sintomas de doenças. Indico que a instalação/quarentena possua chão de tela para melhor visualização das fezes do animal, e também esteja bastante distante do restante do plantel.

Aqui também deixarei um vídeo onde abordo esse tema de maneira completa. 

Além das aves em quarentena, nós mesmos precisamos nos cuidar para não acabarmos como vetores de doenças. Em visitas a criadores ou mesmo após contato com aves doentes podemos carregar os microrganismos por aí, levando até as nossas aves saudáveis e girando a engrenagem da doença. Assim, é muito importante lavar as mãos e não ir com as mesmas vestimentas da visita para o nosso criatório. Eu sei que é algo difícil de ser realizado, mas faz total diferença. 

 

E AGORA?!

 

Espero que esse artigo tenha sido útil para melhor compreensão sobre a prevenção as doenças. Existem inúmeros pilares que podem ser explorados para garantir a saúde da nossa criação. Se você já está passando por doenças, indico esse vídeo: 

Se você quer se aprofundar sobre o tema e ter a certeza de atingir com exímio os objetivos com a avicultura, convido-te a conhecer o meu curso: https://galinhasornamentais.net/

 

São menos de R$2 por dia, uma oferta incrível que vai passar. Então não deixe para depois, conhecimento é transformador.

E aí, gostaram do artigo de hoje? Se sim, compartilhem com os amigos, deixem uma curtida e continuem seguindo nossa coluna, blog e as redes sociais listadas abaixo:

Youtube: Rancho LW

Instagram: @rancho_lw

Facebook: Rancho LW

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Aves Ornamentais em Foco
Sobre Aves Ornamentais em Foco
O Blog Aves Ornamentais em foco é escrito pelo acadêmico de Zootecnia da Universidade Estadual de Ponta Grosa (UEPG) e Fundador do Rancho LW, Luis Enrique Dias Wisniewski. Aqui você encontra dicas de como criar e cuidar bem suas aves ornamentais, com uma visão técnica e prática do negócio.
Castro - PR
Atualizado às 15h09 - Fonte: Climatempo
20°
Poucas nuvens

Mín. Máx. 20°

20° Sensação
3.2 km/h Vento
44.1% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (16/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. Máx. 14°

Sol com muitas nuvens
Quinta (17/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. Máx. 13°

Nublado
Ele1 - Criar site de notícias