Terça, 24 de Novembro de 2020
42988489296
Pecuária ÍNDICE DE PRENHEZ

Fazenda em Lagoa da Confusão (TO) conquista 85,5% de índice de prenhez aliando nutrição e reprodução estratégicas

Ao todo, 1277 animais foram submetidos à estratégia nutricional durante a estação de monta, entre os meses de novembro de 2019 a abril de 2020

19/11/2020 08h39
302
Por: Redação Fonte: Redação
O produtor Leonardo Massaro Sato afirma que a propriedade conseguiu obter um ótimo resultado nos percentuais de prenhez da vacada e na desmama precoce dos bezerros
O produtor Leonardo Massaro Sato afirma que a propriedade conseguiu obter um ótimo resultado nos percentuais de prenhez da vacada e na desmama precoce dos bezerros

A produção anual de bezerros está em ascensão, sendo o Brasil o segundo maior produtor do mundo. Apesar do País se destacar dos demais por ser o que mais utiliza a Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), a média da taxa de prenhez brasileira ainda é considerada baixa, em torno de 72%.  No entanto, a Fazenda Ipuca da Onça, localizada em Lagoa da Confusão (TO), atingiu um índice muito superior. A propriedade alcançou 85,5% de índice de prenhez ao aliar tecnologia, nutrição e reprodução estratégicas.

Em parceria com a Minerthal, uma das mais tradicionais fabricantes de suplementos para bovinos de corte e leite do Brasil, o pecuarista Mário Massaro Sato e a empresa Clivar, que atua em reprodução, desenvolveram alternativas para que a Fazenda Ipuca da Onça, que trabalha com cria e recria, pudesse maximizar o resultado já encontrado na fazenda em anos anteriores.

O protocolo de nutrição adotado foi o fornecimento de proteico-energético para consumo de 0,3% do PV (30% de Proteico 66 + 70% de Milho) e silagem de milho durante 30 dias antes da inseminação e 30 dias depois da inseminação. Nos outros meses, na época das águas, foi oferecido o Minerthal 80 (Suplemento Mineral) com consumo médio de 100 gramas/animal/dia. Além da suplementação, o rebanho pastou em Brachiaria, Humidícola e Massai.

Ao todo, 1277 animais da raça Nelore (novilhas precoces, novilhas, primíparas e multíparas) foram submetidos à estratégia nutricional durante a estação de monta que compreendeu entre os meses de novembro de 2019 a abril de 2020. Ao final do período constatou-se que 1092 vacas emprenharam, resultando num índice de 85,5%: o maior registrado na propriedade nos últimos quatro anos.

“O índice conquistado foi exemplar e demonstra que há eficácia em aliar suplementação adequada e técnica reprodutiva. Outro resultado expressivo conquistado na propriedade foi a taxa de prenhez na primeira IATF, alcançando o ótimo valor de 56%”, aponta Gilberto Pereira de Sousa Júnior, consultor de vendas da Minerthal.

“Nós utilizamos os produtos da Minerthal há bastante tempo. O gado tem uma boa aceitação e, com a demanda de carne aquecida, começamos a utilizar os produtos aditivados da empresa, principalmente no período seco. Assim conseguimos obter um ótimo resultado nos percentuais de prenhez da vacada e na desmama precoce dos bezerros”, comemorou o produtor Leonardo Massaro Sato.

Por que suplementar para obter melhores índices?

Em fazendas de cria, os bezerros são a maior fonte de faturamento, justificando o foco empregado na reprodução. Por isso, ao obter uma baixa taxa de prenhez, o criador terá em sua fazenda menos vacas prenhes, menos bezerros e, consequentemente, menos dinheiro no bolso.

“Um índice baixo não só compromete o rebanho com vacas vazias por mais tempo, também há menor aproveitamento da área de pastagem, custos com alimentação das vacas que não emprenharam, doses de sêmen gastas, horas trabalhadas dos colaboradores no manejo desses animais. A soma de todos esses fatores resulta em uma redução do lucro”, pontua Letícia de Souza Santos, analista de produtos da Minerthal.

Letícia explica que os melhores resultados reprodutivos são alcançados quando a matriz está bem nutrida e apresenta escore corporal adequado. “Quando paramos para observar a média das fazendas brasileiras, apesar da estação de monta geralmente se concentrar no período do ano em que há grande disponibilidade de alimento, ao aplicar a técnica de IATF é muito comum as matrizes estarem abaixo da condição corporal ideal para emprenhar, principalmente as primíparas”, observou.

Isso ocorre porque a vaca precisa manter a gestação com bom escore corpóreo, pois se parir mais leve e estiver abaixo do peso, o desafio para recuperar condição corporal de setembro a dezembro (amamentando bezerro), por exemplo, é muito grande. Além disso, nesta época do ano (período de final de seca e transição) a condição das pastagens é ruim. O resultado será animais que estarão entrando na estação ainda sem estarem ciclando.

A Letícia alerta que é preciso ter um cuidado ainda maior no terço final da gestação – parição e intervalo até a estação de monta – quando o período se caracteriza pela baixa disponibilidade e qualidade da pastagem. “Neste momento a fisiologia da vaca também exige alta demanda por nutrientes e por este motivo torna-se tão importante pensar em soluções nutricionais para que os criadores não passem aperto com as matrizes”, ressaltou. Com assessoria.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Castro - PR
Atualizado às 08h22 - Fonte: Climatempo
18°
Poucas nuvens

Mín. 12° Máx. 27°

18° Sensação
22.6 km/h Vento
59.5% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (25/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 14° Máx. 29°

Sol com algumas nuvens
Quinta (26/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 16° Máx. 31°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias